II Regional de Saúde de Mossoró realiza reunião para traçar estratégias sobre a Campanha contra a Gripe

alexandre

   

A II Unidade Regional de Saúde Pública (II URSAP), por meio do Programa Regional de Imunizações realizará sexta-feira (07) de abril, às 9h, no auditório deputado Leônidas Ferreira uma Reunião para discutir as Estratégias da Campanha de Vacinação contra a Influenza, direcionada aos coordenadores, enfermeiros, vacinadores e digitadores.

A reunião será coordenada pelo enfermeiro responsável pelo Programa Regional de Imunizações da II Ursap, Alexandre Benigno e pelo técnico dos Sistemas de Informação do Programa Nacional de Imunizações (PNI), Jorge Motta. O objetivo da Campanha contra a Influenza é reduzir as complicações, as internações e a mortalidade decorrentes das infecções pelo vírus da influenza, na população alvo para a vacinação.

Segundo o enfermeiro responsável pelo Programa Regional de Imunizações da II Ursap, Alexandre Benigno no evento serão discutidos aspectos técnicos da vacina, questões relacionadas aos Sistemas de Informação da Vacina Influenza, estratégias, logística da distribuição da vacina e análise das coberturas vacinais.

“A influenza é uma doença respiratória infecciosa de origem viral, que pode levar ao agravamento e ao óbito, especialmente nos indivíduos que apresentam fatores ou condições de risco para as complicações da infecção (crianças menores de 5 anos de idade, gestantes, adultos com 60 anos ou mais, portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais)., disse o enfermeiro responsável pelo Programa Regional de Imunizações da II Ursap, Alexandre Benigno.

“Nesta campanha, além de indivíduos com 60 anos ou mais de idade, serão vacinadas as crianças na faixa etária de 6 meses a menores de 5 anos de idade (4 anos, 11 meses e 29 dias), as gestantes, as puérperas (até 45 dias após o parto), os trabalhadores da saúde, os povos indígenas, os grupos portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais, os adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas, a população privada de liberdade e os funcionários do sistema prisional. Também serão incluídos para a vacinação, neste ano, os professores das escolas públicas e privadas. A meta é vacinar, pelo menos, 90% dos grupos elegíveis para a vacinação ‘informa o enfermeiro Alexandre Benigno.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), estima-se que a influenza acomete 5 a 10% dos adultos e 20 a 30% das crianças, causando 3 a 5 milhões de casos graves e 250.000 a 500.000 mortes todos os anos, no mundo.

Frequentemente, a influenza causa exacerbação de doenças crônicas cardiovasculares, pulmonares (DPOC, asma), metabólicas (particularmente diabetes), pode desencadear infarto agudo do miocárdio e acidente vascular cerebral, causar miocardite, pericardite, miosite, rabdomiólise e diversas manifestações neurológicas (convulsão, encefalite, síndrome de Guillain Barré). Durante o pico de atividade da influenza, existe nítido aumento das hospitalizações e mortes por doença cardíaca isquêmica e acidente vascular cerebral.

INCLUSÃO DOS PROFESSORES

Também serão incluídos para a vacinação, neste ano, os professores das escolas públicas e privadas. O Ministério da Saúde (MS) e o Ministério da Educação (MEC) em ação conjunta buscam esforços para a ampliação da oferta da vacina influenza para os professores. Esta ação tem como objetivo reduzir o risco da influenza para outras pessoas na escola.

“É importante mobilizar todos os meios de comunicação, em especial os de maior abrangência (jornais, rádios, televisão, alto-falantes volantes e fixos etc.) para informar a população sobre a vacina e aumentar a adesão à vacinação e lideranças comunitárias, formadores de opinião, associações e instituições com o objetivo de esclarecer a população sobre a influenza e importância da vacinação”, disse a gerente da II Ursap, Michelly Cabral de Lima.

       

Abdias Duque de Abrantes

Assessor de Comunicação Social

II Ursap MTB-PB Nº 604

zap-o-diario3